quarta-feira, 6 de abril de 2016

Minha rotina literária...





Oi pessoal!

Hoje cedo uma amiga se sentiu no direito de vir me dar um "conselho" quanto as minhas postagens no instagram sobre o que leio. Ela acha que nos meus perfis tenho que falar única e exclusivamente sobre os meus livros, mas o que ela não entende, é que o universo literário é muito amplo e eu não preciso pensar dentro da caixinha.

A minha resposta para ela foi simples: Ao invés de se preocupar com uma bobagem dessas, você deveria incentivar seu filho de oito anos, que não larga o iphone nem por um segundo, a ler mais. Negocie com ele. Faça-o compreender a importância de mergulhar na fantasia de universos fantásticos ao invés de passar a vida "matando" gente e fazendo expressões de raiva. É cômodo também. Ele vai ficar tão quieto quanto e você até pode gastar uns reais a mais, mas é um bem para toda a vida!
Não estou aqui para ensinar a educar filho de ninguém, mas gostaria que as pessoas entendessem que a prática diária vira hábito e só nos traz benefícios. Essa dica vale para qualquer idade.

Quero que queiram conhecer outros autores, nacionais ou não. Quero compartilhar minhas experiências literárias e assim, quem sabe, despertar a curiosidade dos meus seguidores para outros escritores e gêneros, apesar de ser uma declarada viciada em romances!!
Pode até ser inexperiência ou inocência minha, mas não acho que exista concorrência nesse mercado e se houver, acho que, no final, todo mundo sai ganhando!!

Ah!! E eu vou continuar postando... 
Beijoooo e até a próxima

Renata Dias

quinta-feira, 10 de março de 2016

Lançamento "O quarto do conto"



Segundo livro da trilogia HOT de Renata Dias
Depois do sucesso de “O Quarto do Sonho”, chega “O Quarto do Conto”

Com uma bem sucedida carreira de DJ, a escritora Renata Dias se lançou neste mundo de palavras e fantasias com um grande diferencial: vontade de emocionar e trazer à tona o imaginário das pessoas. E conseguiu! A trilogia “Entre Quatro Paredes” chegou às mãos dos ávidos leitores com seu primeiro livro, “O Quarto do Sonho”, em 2014. A crítica deu mais fôlego ainda para que a trilogia não demorasse muito com seus dois livros restantes: “Confesso que fiquei um tanto quanto apreensiva em relação a essa leitura, afinal, nunca tinha lido nada do gênero, mas como para tudo na vida tem uma primeira vez, fico feliz que tenha sido com o livro O Quarto do Sonho da querida Renata Dias”, comentou o Blog Cabine de Leitura.
O gênero Soft Porn cresceu muito nos últimos tempos. O mundo feminino permitiu-se assumir que não existem limites para “animar” sua imaginação e, sem dúvida alguma, o livro americano “Cinquenta Tons de Cinza” deu um up no mercado. Esse mesmo “up” deu mais vontade ainda para que a DJ e escritora lançasse suas ideias para esquentar as estantes dos que já conheciam e dos que ainda precisavam ter acesso a este mundo. “Recebi esse livro de parceria com a maravilhosa Renata Dias e me apaixonei. Li em dois dias e quando não estava lendo não consegui pensar em outra coisa que não fosse o livro. Dona Renata, por favor, uma continuação pra ontem!! Vi no final do livro que já está escrevendo "O quarto do conto" e por favor, que seja lançado ainda este ano!!” , escreveu a blogueira Ana Carina, do “Salada de Livros”. O que a Ana não sabia é que os outros livros já estavam finalizados mesmo antes de ser lançado seu primeiro volume. Pedido atendido!
A autora convida a todos e expõe sua emoção por mais “um filho” disponível para que os leitores acompanhem essa saga muito bem construída: “Apesar da trilogia ter sido finalizada desde antes da decisão de contatar uma editora, a publicação de cada obra sempre será motivo de grandes comemorações. Lançar o primeiro livro é uma promessa, lançar o segundo é uma concretização! É por isso que convido a todos os para brindar comigo na sexta-feira, dia 18 de março,  às 18h, na Livraria Cultura do Salvador Shopping" .
Com uma linguagem simples, apimentada e recheada de situações críveis, “O Quarto do Conto” chega com a promessa de repetir (e aumentar) a empatia imediata que conseguiu com cada leitor. Além de provocar a imaginação, as estórias são muito pertinentes e “chegadas” a dúvidas e realidades não tão distantes de cada pessoa.

Fan Page Oficial: https://goo.gl/Brybko
Instagram: @renatadiasoficial


Serviço
Evento: Lançamento do 2º livro da Trilogia “Entre Quatro Paredes” – “O Quarto do Conto”  
Editora: Novo Século
Quando: Dia 18 de Março de 2016
Que horas: Às 18h
Onde: Livraria Cultura – Salvador Shopping | Avenida Tancredo Neves, 2915 – Caminho das Árvores – Salvador/BA
Entrada: Gratuita


Foto: Dodô Villar

Maiores informações à imprensa
Assessoria de Comunicação: Gema Carioca Consultoria
Adriana Favilla – adriana@gemaconsultoria.com.br

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

O quarto do conto: A capa & eu



A trilogia inteira foi escrita entre 2012 e 2013 e somente quando estava tudo finalizado, amarrado e conexo, é que decidi que tentaria publicar. Era uma escritora de primeira viagem, mas não uma aventureira a fim de lançar um livro a qualquer custo. Tive receio de que em algum momento me sentisse desestimulada, faltasse inspiração ou acontecesse algo que me impedisse de continuar. Somente em fevereiro de 2014 é que dei o primeiro passo rumo a concretização desse sonho.
Muita gente acha que quando um autor/escritor senta na frente de um computador para escrever um livro, ele já tem desenhado todo o conteúdo. No meu caso eu tinha sim rabiscado o que pretendia para cada personagem, mas no desenrolar dos romances, foram surgindo novas possibilidades e eu jamais poderia prever obras com tantos detalhes. Isso acontece a cada linha escrita e sim, amei que o resultado tenha sido diferente do que eu havia imaginado.

Engraçado que uma vez ouvi que: Quem não te conhece vai te ver como mais uma autora e vai achar fantástico. Quem te conhece vai achar que é sobre você!
Me perguntaram se sou eu na capa do 2º volume da trilogia "Entre quatro paredes". A resposta vocês já sabem e apesar de considerar desnecessário, vou dar somente três dos muitos "porquês"...

1. Quando terminei de escrever esse livro, me senti tocada pela história da Lara. Na dedicatória fica bem explicado o meu sentimento em relação a obra. A tatuagem é da personagem e eu decidi replicá-la em mim para que eu nunca esqueça da importância de cultivar o meu amorpróprio. Ela foi gravada em mim em dezembro de 2013 e na época eu apenas brincava com a ideia de ser capa.
Já fiz foto para tantas campanhas publicitárias na minha época de modelo. Porque não eternizar algo meu? Se eu tivesse me atentado para isso antes, teria posado para a trilogia inteira! rs

2. Passei dois anos sonhando com as capas de cada um dos livros e essa, em especial, eu sabia exatamente como queria que fosse. Tinha umas referências e decidi fotografar para ver o resultado (foto: Dodô Villar). Sugeri a editora que utilizasse minha imagem e eles toparam de primeira, aliás, eles toparam antes mesmo de ver as fotos.
Um monte de gente questionou o posicionamento do meu marido em relação a minha decisão e achei engraçado como as pessoas se preocupam com os rótulos. Meu nome está na capa, fui eu quem escrevi e nunca quis me esconder atrás de codinomes. Qual a diferença entre ser eu estampada na capa ou uma modelo? Ela até poderia ser mais bonita, mas meu bolso agradece pela economia e sinceramente, ficamos tão encantados com o projeto depois de finalizado que esse tipo de questionamento alheio foi varrido para debaixo do tapete. É um trabalho artístico, sensual sim e nem um pouco vulgar.

3. Muitas pessoas que conheço tomaram um susto quando souberam que eu publicaria um livro e ainda mais quando viram que era erótico. Eiiii! Não é um. São vários e quero fazer isso até ficar velhinha! Muitas delas insinuaram que eu utilizasse experiências pessoais no desenvolvimento dos personagens e como não adiantava ficar me explicando, até porque esse seria um "problema" meu, decidi que ser "a garota da capa" seria uma forma de mostrar que nada no conteúdo das obras me faz ficar reticente. Pelo contrário, descrevo cenas pra lá de envolventes e que desejo, quem sabe um dia, vir a realizar. Não sou boba nem nada e quem quiser comer feijão com arroz todo dia não venha se meter na minha vontade de comer feijoada e torresminho.

Sou uma mulher adulta, livre para fazer as minhas escolhas e lúcida para responder por elas. Não sou uma doida varrida (até queria ser em algumas ocasiões) e por mais que em algumas situações nem tudo corra da forma que eu gostaria, sou a grande responsável pelos resultados que obtenho. Muitas vezes mergulhar na ficção me salva da realidade e isso não é fuga e nem dissociação. Não sou uma personagem de romance, mas tenho dezenas deles borboleteando pelo meu imaginário e me sinto abençoada por isso!!

Renata Dias











quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Feliz dia do leitor!



A gente ouve muito por aí e até pode soar clichê, mas como George Martin citou, "um leitor vive mil vidas antes de morrer".
Há um tempo, coisa de poucos anos, me encontrava perdida e sem rumo. Com vários questionamentos em relação ao meu futuro e ao que eu gostaria de fazer para ser feliz. Nunca consegui trabalhar focando apenas no financeiro e vamos ser realistas que ganhar dinheiro com literatura no Brasil é para quem está lá na minha frente, já que acabei de fazer aniversário de 1 ano de primeira obra publicada. Quem sabe um dia?
... Mas a grande verdade é que escrevendo eu conheci o prazer genuíno. Não por desenvolver romances no gênero HOT, mas porque me entrego a cada parágrafo e personagem como se ele já fosse amado/odiado por quem os "conhece". Eles são reais para mim. Permeiam meu imaginário e me preenchem de fantasias. Me questiono por eles, me coloco nos seus lugares ou fujo para fazê-los ser exatamente o meu oposto. Pinceladas de realidade inventiva em universos inexplorados. Me permito viver outras vidas e propiciar à vocês a oportunidade dessa experiência também.
Sempre li muito e de tudo um pouco. Muito provavelmente essa seja uma das razões de me permitir mergulhar tão profundo em devaneios me colocando em papéis que jamais interpretaria na vida real (será?!). Essa sensação me completa. Alimenta perspectivas. Define predileções. Faz de mim uma mulher aberta ao desconhecido e sempre em busca de conhecimento.
Ser leitor é viver cada página de uma vez! É acordar mocinho e dormir bandido. É se apaixonar perdidamente e morrer de amor, dar a vida ou ser capaz de cometer crimes, por ele. É conhecer outros mundos, vestir outras personalidades e ter a oportunidade única de descobrir quem realmente é. Ou o que deseja ser...
E é por você, leitor, que sigo nessa estrada doida e cheia de entrelinhas. Perdendo noites, ganhando dias e com uma única certeza... Sem você, hoje, eu nada seria!
Feliz seu dia todos os dias e obrigada por fazer da minha vida, uma série repleta de incríveis possibilidades!

Renata Dias
Autora da série Entre quatro paredes
O QUARTO DO SONHO
O QUARTO DO CONTO
O QUARTO DA CURA


sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Feliz outro ano!


Olho para trás e não me arrependo das minhas escolhas. As erradas me fizeram adquirir consciência para passos futuros. As certas me fizeram estar onde estou. "Bom ou ruim" é assim que é e é nesse lugar que me pertence, que agradeço por nunca ter precisado fazer ninguém de muleta para ser qualquer coisa na vida.
Não preciso esperar virar o ano para fazer considerações... Minhas reflexões são diárias. Estou sempre escrevendo algo sobre isso para vocês!
Renovam-se as esperanças e o desejo de um mundo melhor, mas lá no fundinho a gente sabe que hoje é só um dia depois de ontem.
A mudança deve acontecer de dentro para fora e não só da boca pra fora. Existe um tempo para fazermos isso acontecer e esse é o agora...
Observem suas atitudes.
Avaliem seus diálogos.
Sejam coerentes e não esqueçam de abusar do bom senso.
Guardem suas inconveniências no bolso.
Admitam suas preferências, mas abandonem os preconceitos... Sejam humanos. Sejam gente.
Tenham compaixão pelos seus semelhantes, mas lembrem que devem usá-la também para si.
Permitam-se sonhar, desistir, recomeçar e criar novas perspectivas porque a vida nada mais é do que um apanhado de experiências que fazem de nós guerreiros com escudo e espada em punho, medíocres ou vencedores. Pergunte ao espelho quais desses papéis te interessam e siga em frente. Um dia depois do outro e só pare para olhar para trás, se for para resgatar o que for verdadeiramente positivo.

Que o novo ano seja de muita consciência e atitude!!
Renata Dias

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

O quarto do conto



Finalmente posso dividir com vocês esse momento mágico!
Foi liberada a capa de O quarto do conto, 2º livro da provocante trilogia “Entre quatro paredes”. Um romance fictício de linguagem simples e cenas detalhadamente explícitas, recheado de devaneios que, muitas vezes, permeiam o imaginário feminino.
Esse romance não é uma continuação de O quarto do sonho. O foco não é mais no gabe e sim na irmã dele, Lara Rocha.
Sinopse:
Lara é uma profissional brilhante... Determinada e extremamente criativa. Quando era mais jovem curtia a vida sem se dar limites até que o fim de uma relação abalou sua autoestima e fez com que se fechasse emocionalmente, ocultando suas fantasias e impossibilitando-a de se entregar mais uma vez ao amor.
O que ela não esperava é que, mesmo com as barreiras emocionais que se autoimpôs, pudesse ser arrebatada por esse sentimento proibido. Ela precisa aprender a enxergar o seu valor como mulher... Como filha, irmã, amiga e amante, para retomar as rédeas do seu destino, transformado seus anseios confidenciados em contos, em capítulos de um romance genuíno, quente e repleto de fascínio.
Ah!! E eu já ia esquecendo...
Essa moça da capa sou eu sim!
Além de desejar todo o sucesso sempre, quero agradecer aos excepcionais artistas, baianos como eu, convocados à realizar o meu capricho de ser “a garota tatuada da capa”!!!
Dai Alves, meu amigo querido e profissional responsável pela beleza, que está ao meu lado há oito anos e é incansável na arte de inventar possibilidades para me fazer sorrir, me fazendo de boneca e me permitindo ser sua tela viva, em constante e sublime mutação.
Dodô Villar, um super fotógrafo e designer criativo que com sensibilidade e ousadia, através das suas lentes mágicas, conquistou a mim e ao segmento de imagens no cenário baiano.
JP; o tatuador que conseguiu traduzir em riscos e cor, o meu desejo de viver me dando rosas de presente. Porque eu mereço!
Eu não poderia estar mais feliz com o resultado e vocês fazem parte disso. A palavra da vez, frequente na minha vida e nem um pouco redundante é gratidão!

Não poderia jamais deixar de citar meu maridinho, marrento e cheio de confiança, que desde o início me incentivou não só a escrever, leia-se publicar, romances apimentados e cheios de "ousadia", mas por depositar em mim a Fé de que seria um trabalho incrível se eu me doasse como tela para representar a Lara nessa capa. Obrigada sempre por ser meu combustível, amor da minha vida... Desta e de outras.
Toda equipe da Editora Talentos da Literatura Brasileira - Novo Século, que não me deixa surtar e que apoia boa parte das minhas sandices, acreditando no meu talento como autora e alimentando a expectativa de que esse é só o começo!

Transbordando de felicidade com o resultado e desejando que vocês curtam como eu. Ele é nosso! Um pedaço das entrelinhas que permeiam o meu imaginário e que dôo inteiramente para cada um de vocês!
Claro que as opiniões serão diversas, mas posso confidenciar que dos 3 livros, esse é o meu queridinho. Vou querer saber de vocês a medida que forem lendo, mas como no 1º eu sempre bati na tecla do "usem com imaginação", nesse 2º vou pedir que:
Abusem do coração! Permitam que ele ultrapasse possíveis barreiras emocionais que os aprisionam...

#namastê

Hoje, REALIZADA, me define!
Renata Dias


quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

01 ano!!!


Pelo resto da minha vida, o dia 02 de dezembro será um dia para comemorar!!!
Agradecer é o mínimo que posso fazer...
Essa batalha é minha, mas saber que tenho pessoas que acreditam no meu potencial é essencial para que não fraqueje diante das dificuldades. Ter vocês ao meu lado nessa empreitada é ter a certeza de que estou no caminho certo!!
Toda gratidão a cada um de vocês que leu esse primeiro romance e que está contando os dias para a chegada do segundo! Que expressa carinho em forma de palavras para alguém que surgiu do rabo do foguete e que adentrou a vida de vocês com pitadas ousadas de fantasia, pimenta e dendê!!
❤️
Renata Dias

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Futuros parceiros...



Segundo a Wikipédia: Parceria é um arranjo em que duas ou mais partes estabelecem um acordo de cooperação para atingir interesses comuns.
Com o lançamento de O QUARTO DO SONHO tive o privilégio de conhecer, mesmo que virtualmente, um monte de gente especial que apoia autores nacionais e incentiva a leitura... Que desinteressadamente fomenta a literatura e estimula a curiosidade de outros leitores. Agradeço de todo coração a cada um dos meus parceiros, blogs literários e perfis de redes sociais, que curtem o meu trabalho e me incitam a ser o meu melhor, me surpreendendo com as mais diversas demonstrações de carinho em forma de palavras! Mas...
Mais de duzentas pessoas me contataram solicitando parceria e é claro que tive que negar algumas, muitas na verdade. A trilogia ENTRE QUATRO PAREDES é do gênero soft porn e sempre avalio os parceiros antes de simplesmente mandar um livro. Envio um questionário para entender se conhecem o estilo e se sentem confortáveis com o conteúdo, visito as páginas, leio posts e hoje em dia, depois de uma ano levando algumas rasteiras, já sei diferenciar quem quer ser um colaborador ativo de quem quer ganhar um livro de presente para acumular números na estante. Algo que aprendi ao longo desse processo de um ano, que passou voando, é que parceiros não são críticos literários e não devem se colocar nesse papel. Muitos são coerentes e conseguem traduzir em poucas palavras seu sentimento em relação ao que recebem, outros precisam mergulhar em seus próprios devaneios para atingir a compreensão de cada capítulo. Tudo não passa de uma questão de interpretação, mas vale deixar claro que no final das contas, na relação com o escritor, a forma de se expressar tem um peso imenso. Se são respeitosos, se tem o cuidado de fazer parte do desenvolvimento desse artista que pena para se manter ativo num mercado saturado e cheio de imprevisibilidades, sem inconveniências e julgamentos maliciosos. Sou grata por ter tido lindas experiências com a maioria de vocês e graças a Deus, poucas para me “consumir”, mas a falta de retorno e atenção é ponto crucial a partir de agora.
Hoje eu sentei para tentar fechar meu plano de parceria para O QUARTO DO CONTO e posso dizer que vou cortar o número de parceiros pela metade. Só para vocês terem uma ideia da conta, o custo de um único parceiro (livro + mimos + frete) é em média R$ 49,00 e boa parte deles não cumpre com os acordos prévios feitos para justificar o envio. Não posso generalizar e dizer que publicidade é a única razão que move um autor a aceitar parcerias, porquê eu mesma por uma questão de identificação imediata, fechei com perfis iniciantes e até alguns que não tem blogs para divulgação, mas acredito que como eu, muitos veem sim como uma ferramenta fantástica para disseminar suas obras. Gostar ou não gostar faz parte do processo pois nenhuma unanimidade é saudável, mas no papel de parceiros, a qualidade da cooperação e a linguagem utilizada em suas postagens e resenhas, determinam o sucesso dessa “sociedade” e não a aprovação/desaprovação do conteúdo. No fundo, a gente sempre sabe quem é de verdade... Quem curtiu, quem vibra com cada passo desse incerto caminho. Quem quer que dê certo e que deseja que as coisas aconteçam porque acreditam no objetivo final.
O quarto do Conto está quase pronto para ir às livrarias e assim que receber a liberação da editora, irei dividir mais essa conquista com vocês. Apesar de saber que Gabe/ Claire/ Mel conquistaram a maioria esmagadora de leitores, o 2º volume da trilogia faz meu coração bater muito mais forte. Espero que vocês se permitam passear por mais esse momento mágico que chega para consolidar minha carreira e me completar como profissional, mulher e ser humano.
Vamos em frente!!!!
Renata Dias

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

A tal da "unanimidade"...



Muita gente vive a vida querendo agradar o coletivo.
O que essas pessoas não pensam é que vivemos numa sociedade com indizíveis particularidades e não catequizados em "boiadas". É impossível adquirir unanimidade em qualquer que seja o assunto e considero saudável quando as discordâncias são embasadas em argumentos inteligentemente conscientes.
Chato é lidar com quem não pensa, com quem simplesmente atropela conceitos e cria rótulos só para bancar o progressista, manifestando posicionamentos que arriscam sua credibilidade e reputação. Quando elas existem, é claro... Lembrando que reputação e caráter são coisas distintas, já explicou há um tempo Arnaldo Jabor.

Pensar não custa caro, mas requer empenho e, em tempos onde a maioria das pessoas se preocupa mais em malhar o corpo do que em exercitar a mente, a tendência é termos que aprender a conviver "pacificamente" com a verborragia de quem nada nos acrescenta...

Não agradar, faz parte. Ser desagradável... não.
Discordar é preciso. Vociferar... Não.

Você não vai agradar todo mundo e isso não vai acabar com a sua vida. As pessoas são diferentes e enxergam o mundo de acordo com os seus interesses... De nada adianta explicar algo para quem não tem a "capacidade" (ou a boa vontade) de entender.
Tenha opinião e seja de verdade, mesmo que para isso precise precise "engolir sapos e engasgar com mosquitos"...
Respeite os desagrados e discordâncias, porém, sem jamais abandonar as suas convicções!


Pensando alto e sem tirar os pés do chão,

Renata Dias

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Como tudo começou...


Comecei a escrever contos por volta dos 20 anos de idade (1998), mas apesar da vontade de um dia publicá-los, naquela época escrevia em um caderno que foi extraviado junto com a minha bagagem em uma viagem de trabalho para Belém e, aborrecida, terminei perdendo o interesse de recomeçar do zero. O tempo foi passando e ao longo desses 17 anos escrevi algumas coisas muito despretensiosamente, mas que me rendiam boas gargalhadas, entre outros sentimentos, em momentos de ócio. 
Em 2009 fui tocar em uma festa aqui em Salvador e uma pessoa me segurou pelo braço para dizer que apesar de adorar o som que eu fazia, a música não me levaria pra lugar nenhum. Que eu seria uma escritora e que faria isso até ficar velhinha. Na hora achei meio louco e dei risada, porque estava completamente fora de qualquer possibilidade no contexto que vivia, mas olha eu aqui!!! Outro dia mandei um inbox no facebook para ela para falar sobre o assunto e ela não tinha a consciência dessa conversa. Acha que me deu um recado da espiritualidade e como boa espírita que sou, não tenho como desacreditar disso.
Em 2010 fui fazer meu primeiro mapa astral e a astróloga ficou repetindo durante toda a minha leitura que meu caminho estava marcado por publicações e que não havia como mudar isso.
Em 2011 fui a uma taróloga e a primeira frase dela, eu disse a 1ª, na primeira carta virada, foi: - Você vai lançar um livro?
Ainda assim não havia caído a minha ficha...
Em 2012 o universo conspirou “ao meu favor” e me jogou no meio do olho do furacão. Fui acometida por um problema de saúde e passei cinco meses sem poder sair de casa sozinha... isso me prendia semanas sem botar o pé na rua. Sempre ouvi dizer que a gente reconhece nossos amigos de verdade quando perdemos a saúde ou o dinheiro e nem posso mentir, negar que senti esse clichê na pele. Hoje posso dizer sem o menor constrangimento: Meus AMIGOS eu bem sei quem são!
Sou uma leitora voraz desde que me entendo por gente. Nem havia completado 6 anos de idade e já andava com revistinhas debaixo do braço, mas nessa época que adoeci, era basicamente tudo o que eu fazia. Lia compulsivamente e foi aí que vi uma matéria sobre a trilogia “Cinquenta tons de cinza” e fiquei curiosíssima. Em uma semana eu li os três livros, sendo que o “Cinquenta tons de liberdade” nem havia sido lançado no brasil e eu li pelo iPad. Não sei se já passaram por isso, mas sabe quando você pega um livro e ele te faz ter vontade de reescrever algumas partes? Foi exatamente isso que aconteceu! Apesar de ter amado o início da trama, no meio eu já estava um pouco entediada e no final me questionei: Para que mais de 1500 páginas para contar algo que poderia ter sido finalizado com 500 sem tanta enrolação? Até o erotismo fica chato se for prolixo... E fui mordida pela vontade de retomar a escrita. Foi uma força muito mais forte do que minhas limitações físicas. Sentei com o notebook no colo e mergulhei em devaneios dando vida ao Gabe (O quarto do sonho), que nasceu literalmente de um sonho para desconstruir o rótulo de que homens poderosos são aqueles cheios da grana ou cheios de traumas. Sou imensamente grata a E. L. James por ter despertado a autora/escritora que vivia escondidinha dentro de mim e ainda mais pelo boom na literatura erótica. Foi uma revolução entre homens e mulheres, independente da crítica.
Em treze meses (novembro de 2013) eu havia finalizado a trilogia “Entre Quatro Paredes” e aí então é que comecei a estudar possibilidades para uma possível publicação. Não sabia por onde começar e nem se teria apoio da minha família, mas sabia que não podia deixar os arquivos guardados, frustrando o meu desejo de dividir devaneios com outros leitores. Minhas amigas haviam amado. Eu lia e relia me questionando se tudo fazia sentido e quando me senti segura, em fevereiro de 2014, comecei a procurar uma editora que apostasse nesse primeiro trabalho. Foi fácil? Nem um pouco. Estressante? Muitas vezes. Desanimador? Também... Mas sabia que de onde havia chegado, não podia retroceder e em julho assinei com o selo Talentos da Literatura Brasileira – Novo Século, começando a dar vida ao sonho tardio de segurar um livro com meu nome na capa e doses generosas de fantasia em todo o resto. Às vezes ainda demoro de acreditar que virou realidade e que estou apenas engatinhando nessa nova jornada. Hoje estou escrevendo dois livros ao mesmo tempo e apesar de não querer fugir do soft porn, um deles está enveredando para outro gênero. Assim que terminar vou contar para vocês.
Não consigo viver sem livros! Tudo na minha vida gira em torno desse universo e a minha felicidade íntima essa ligada diretamente a ele. Minha realização pessoal e profissional vem dele. Durmo e acordo todos os dias alimentando ideias, planos e projetos para não desanimar diante dos contratempos. Não me canso de agradecer por não me faltar inspiração e luto para que as dificuldades não me façam refrear o sonho de ser uma escritora respeitada. Tenho muitos sonhos, mas o maior deles, que nasceu quando eu mais precisava e menos esperava, eu já realizei!!!
Que venham muitos outros...

Renata Dias